Lost – depois dele o que mudou na TV?

Está por um fio o final da sexta e última temporada do seriado LOST, um sucesso mundial dos mentores Damon Lindelof e Carlton Cuse. Como dizer adeus a uma série que nos manteve hipnotizados por tanto tempo?
Lost destacou-se não apenas pela ótima produção, elenco e uma história envolvente, mas principalmente pela revolução criativa e envolvente que originou. A TV como a conhecíamos nunca mais será a mesma...
Desconheço outra produção para TV que tenha conseguido tamanho destaque em tantas mídias ao mesmo tempo e que tenha conquistado um público tão fiel, que para alguns beira o fanatismo.
O grande diferencial de Lost é que ele continua depois que os episódios são exibidos pela TV. Está na Internet, lá existe um “universo paralelo” com informações que não aparecem na TV, são sites, filmes para celular, fóruns, blogs e incontáveis comunidades que trocam dados, impressões e teorias sobre os mistérios da ilha, seus sobreviventes e os outros mistérios. Além, é claro, de episódios devidamente legendados para serem baixados.
Desde a segunda temporada que eu acompanho a série, primeiro pelo AXN depois baixando os episódios e só revendo pelo AXN depois... Logo após a exibição pela TV nos EUA uma equipe de maníacos apaixonados traduz, legenda e disponibiliza o episódio na rede, o mesmo que só seria exibido no Brasil no início semanas depois, este ano com apenas um dia de diferença. A eficiência desta turma é tanta que poucas horas depois da exibição do episódio nos EUA já temos como baixar, traduzido. Desta forma, ansiosos como eu, que não agüentam esperar, podem ter sua curiosidade aplacada.
Lost é um novo e amplo universo, que continua a ser alimentado, inclusive pelos próprios profissionais que fazem a série. Eles criam meios de fidelizar os telespectadores como: fóruns, blogs e até games de realidade alternativa (já lançado no Brasil).
A grande questão, o grande fenômeno por trás dos mistérios de Lost é a nova maneira de assistir TV, feita para e pelos telespectadores-internautas. É o fim da passividade de apenas assistir TV sentado no sofá preso a um horário determinado pelo canal para um novo perfil: o ativo-espectador-interativo. O fã ama se sentir parte da trama. Agora a TV é discutida, retransmitida, mudada... 24h pela Internet.
A grande sacada do mercado publicitário, aliás, do mercado de comunicação, é saber aproveitar essa nova realidade, participar dela e tirar proveito disso.
Saiba mais sobre Lost digitando a palavra LOST no Google e futucando em nada menos do que aproximadamente 464.000.000 resultados (até 21h27 de 23/maio/2010 – e daqui há alguns momentos serão mais algumas).

Comentários