Lágrimas e o final de Lost.

Só hoje ví o final de Lost, depois de 6 temporadas e 6 anos a série fez parte da minha vida também. Junto com seu final foi inevitável deixar de repensar os últimos seis anos da minha vida. Acredito que só vi hoje porque era o momento certo, as coisas nunca acontecem antes ou depois do que devem acontecer, mas, perceber e aceitar isso são coisas muito difíceis.
Admito que chorei muito, claro, isso não é difícil de acontecer, pra quem me conhece sabe que não evito as lágrimas, deixo elas virem. Chorei não exatamente pelo fim, ou por Lost, chorei porque precisava chorar. Aliás, se Deus criou o mecanismo de chorar, assim como o de rir, por que tantos evitam chorar? Chorar pode ser muito curador. Chorar renova, faz a gente libertar o que dói, o que foi pesado de suportar e assim poder começar de novo, aguentar as coisas ruins, os problemas e termos forças pra superar tudo. Interessante como as lágrimas, que no momento em que correm nos fazem parecer tão frágeis, são exatamente o que nos fazem mais fortes, depois.
O final de Lost foi muito simples, me pareceu assim, como são simples as melhores coisas da vida. Imagine um sorriso de sua filha, um abraço de quem você ama, poder realizar um sonho, realizar um desejo, construir algo... Coisas simples... Dentro de todas as complexidades e mistérios da série o final foi um grande reencontro, deixou margem para que cada um realmente interprete o final como quiser. Estão todos mortos? Estão finalmente voltando a viver? Você escolhe, e imagina também o que faltou ser dito, sempre vai faltar algo a ser dito.
Quanto a mim, posso dizer que fiquei satisfeita, agora posso virar a página de Lost, mas a saudade fica e também a vontade de querer sempre mais um pouco.

Comentários