Um pouco de teoria da cores.

Cor é um dos meus assuntos favoritos, eu já contei aqui, a novidade é que eu achei no blog De(coeur)ração uma ótima matéria sobre teoria das cores que divido com vocês:
Cores complementares são as que estão opostas no disco das cores. Por exemplo, a cor complementar do azul é o laranja.
Cores complementares sempre funcionam bem juntas. O verde e vermelho funcionam tão bem por serem complementares (lembre de uma cantina italiana).
Pra entender melhor como foi feito o estudo das cores complementares, experimente fazer um teste: durante alguns minutos, sob boa luz, olhe diretamente para uma cor, por exemplo o amarelo. Depois olhe para uma superfície branca e perceba que uma outra cor aparece: o violeta. Esta é a complementar ao amarelo. Este fenômeno acusa como é involuntário o desejo dos olhos de visualizar uma cor complementar àquela que está em maior quantidade num ambiente.
Lançando mão das chamadas harmonias, que são esquemas para combinar as cores, podemos criar ambientes interessantes e atrativos.
Na harmonia monocromática se utilizam vários tons da mesma cor, variando sua luminosidade e saturação. De acordo com a escolha dos tons e da sua aplicação nos objetos e superfícies do ambiente, esta harmonia pode ficar bastante elegante, mas há o perigo de parecer monótona, já que o contraste não existe. O preto e o branco podem entrar nesta combinação para realçar algum detalhe e compor o conjunto.
A harmonia análoga é aquela em que se combinam uma cor primária e as duas adjacentes à ela no círculo de cores. Uma das cores é utilizada como dominante no conjunto (o vermelho das paredes da foto acima), e as outras são aplicadas em detalhes. É uma harmonia mais rica que a monocromática, mas também não apresenta uma cor de contraste.
Já na harmonia complementar, busca-se o contraste com o uso de cores diametralmente opostas no círculo das cores. Uma combinação interessante é utilizar uma cor quente e uma fria não saturada, usando uma delas como dominante e a outra nos detalhes que se deseja destacar (a logomarca da Lfernandes segue esta harmonia complementar, laranja e azul).
Usando três cores eqüidistantes no círculo das cores teremos uma combinação em harmonia triádica que apresenta grande contraste, mas ainda sim, equilíbrio. Novamente, usa-se uma cor como dominante e as outras duas para detalhes.
Cíntia Essinger (que assina)   é Arquiteta e Urbanista graduada pela UFPel (Pelotas) em 2003, especialista em História do Brasil e Mestre em Memória Social e Patrimônio Cultural.
Trabalha com pesquisa sobre história da cidade e atua na área de Arquitetura de Interiores em Pelotas - RS.
Este post da Cíntia foi ligado a decoração, agora imagine as mesmas hamonias para o design gráfico? É só transportar que é o mesmo princípio - cor! 



Comentários