As tatuagens pelo mundo a fora.

Fernanda Dalveira - Brasil

Eu não tenho nenhuma tatuagem sequer, mas gosto do assunto, e admiro algumas tatuagens, gostei muito dos dados desta matéria adoro viagem sobre tatuagens no mundo, mais algumas pesquisas minhas e quero dividir com você.
Tão antiga quanto a própria humanidade e tão intensa como os sentimentos impregnados em seus desenhos, a prática de tatuar é uma arte milenar. Apesar dos dogmas religiosos ocidentais, a cultura de marcar o corpo se espalha cada vez mais. Desde o Egito antigo ao paraíso recentemente colonizado da Nova Zelândia, a técnica era usada para reverenciar deuses e vista como símbolo de status dentro da tribo. Percorrendo as linhas de tinta que cruzaram culturalmente as peles taitianas, japonesas, indianas, e africanas; dos índios americanos aos esquimós,Charles Darwin afirmou que nenhuma nação desconhece a arte da tatuagem. Perseguida por papas e estereotipada nos braços de piratas e presidiários, a história das tattoos carrega uma intensa cultura.
Estudos arqueológicos indicam que os primeiros sinais de tatuagem datam de 5.300 anos atrás. A famosa múmia doHomem do Gelo, descoberta em 1991 na região dos Alpes, carrega em seu corpo traços feitos com linhas azuladas. Múmias do sexo feminino datadas de 2160 a.C apresentam pequenas escrituras na região abdominal, que significariam rituais de fertilidade. 
 
Os nômades do norte faziam tatuagens para registrar sua própria história, seu passado e suas crenças em seus constantes deslocamentos, a prática se estendeu pelos cinco continentes e passou a ser usada em rituais religiosos, marcação de prisioneiros, escravos, identificação social, ornamentação e – pasmem- camuflagem. 
 
Aqui nas bandas do ocidente, a religião cristã condenou seu uso no século 8, já que o Antigo Testamento afirma: "Não façais incisões no corpo por causa de um defunto e não façais tatuagem". Só no ano de 1769 a arte saiu da margem do pecado e foi redescoberta pelo navegador inglês James Cook, em uma de suas viagens à Polinésia. Foi James quem deu a tatuagem o nome que conhecemos hoje; tattoo. Quando ele pisou no arquipélago, reparou que os nativos pintavam seus corpos e traçavam desenhos permanentes na pele, o barulho feito pelos instrumentos rústicos cravando a tinta ao corpo fez com que os nativos chamassem o processo de tatau.
 
Em 1981, Samuel O’Reilly desenvolveu um aparelho elétrico para fazer tatuagens (antes eram usados objetos que variavam entre bambu, ossos, pedras, dentes de animais e etc) inspirado em um outro projeto bem parecido patenteado pelo próprio Thomas Edison. Depois disso foi só esperar a moda marcar. Durante a segunda guerra mundial marinheiros e soldados tatuavam o nome ou algum símbolo que representasse seus amores distantes. No final do século XX a arte generalizou e é, desde então, uma moda nada passageira e definitivamente duradoura.

CELTAS - O povo tribal que ocupou uma parte da Europa ocidental em meados de VI a.C até o século I a.C deixou traços de sua cultura principalmente na Irlanda, no País de Gales e na Escócia. Como suas cerimônias e suas crenças reverenciavam a arte corporal, a pintura do corpo era importante para simbolizar ligações inquebráveis e a jornada pelos mais conturbados caminhos da vida. A pintura permanente era feita com a woad, planta tipicamente européia de pigmento azul. Os desenhos mais comuns eram as espirais, que podiam ser simples, duplas ou triplas. A Knotwork era a mais usada, suas linhas formam entrelaçados complexos que representavam as ligações da tribo e os labirintos da vida. 

ÍNDIAEntre os países com tradição milenar na arte de se expressar com tinta na pele, a Índia se destaca. O país foi o primeiro a desenvolver a técnica mehndi, conhecida por nós como a tatuagem de henna feita na praia. Lógico, a versão original lá da Índia não tem nem comparação com a adaptação brasileira, mas o produto é o mesmo, um pigmento natural de henna. Os desenhos duram no máximo uma semana, e sua importância cultural é extremamente antropológica, já que a pintura é usada em ocasiões especiais. O ritual de casamento só é completo se a noiva receber o desenho nas mãos e nos braços. Quando a moça vai se casar, a família chama um astrólogo para determinar as possíveis dificuldades futuras em seu casamento, a partir daí ele escolhe o melhor desenho para tatuá-la e guiar as boas energias dos deuses.

No ocidente eu percebo que ainda existe um grande preconceito em relação a tatuagens e a pessoas tatuadas, infelizmente ainda associam tatuagem com marginalidade, bandidagem ou coisas assim. O que não é, nem de longe, a verdade. É apenas uma triste coincidência algumas pessoas ditas "do mal" terem tatuagem, para cada uma que me apontar aponto uma extremamente "do bem" que também tem tatuagem.

Gostou? Conheça a matéria toda AQUI.
 


Comentários