Casamento Luciana e Leonardo - 01 de Janeiro de 2015 - Mendes RJ.


2015 começou muito especial... Dia primeiro de janeiro de 2015 Leo e eu nos casamos. Tivemos uma cerimônia linda, muito íntima, simples, improvisada, emocionante, mágica e até um pouco bagunçada, mas sobretudo muito verdadeira.


Na verdade eu e o Leo já fomos casando aos pouquinhos, a cada dia, ao longo de 2 anos e 4 meses juntos, talvez a gente já tenha começado a nos casar desde o primeiro dia em que ficamos juntos. O amor, a cumplicidade, a química, a comunhão de interesses de vida em comum já começou ali, bem naquela madrugada do dia 30 de agosto de 2012.

Se me perguntarem quando ele começou a morar comigo eu não saberia responder, como disse, foi aos pouco, o que eu sei é que para ele eu virei esposa antes dele virar marido, acontece. Eu sou mulher e queria uma cerimônia para o estado civil mudar de verdade. Enquanto algumas pessoas tem aversão à palavra casamento eu ainda acredito nele (embora eu tenha experiências anteriores que poderiam me fazer desacreditar nele). Gosto de usar uma aliança, porque a mudança de estado aconteceu primeira no meu coração, na minha postura de vida, usar um símbolo no dedo faz parte do meu compromisso com o homem que amo.


Usamos uma aliança na mão direita por 1 ano e 7 meses e tínhamos planejado trocá-la por uma de casamento, na mão esquerda, direitinho. Nossas alianças ficaram prontas em dezembro, mas simplesmente colocá-las no dedo me parecia simples e sem graça. Então definimos que no dia 30 de dezembro faríamos uma cerimônia só nossa, na praia. Bem, mas mudamos de ideia e decidimos passar a virada de ano na casa dos meus tios em Mendes RJ, uma boa parte da família da minha mãe iria para lá e gostaríamos de estar com eles. No dia 30 muitos deles ainda não tinham chegado, decidimos esperar o dia 31 e dividir o nosso momento com todos eles. Caiu uma tempestade de verão bem violenta na cidade, árvores e placas de propaganda foram arrancadas, telhados carregados, fios e postes danificados. A energia acabou por voltas das 15h e só voltou pouco antes da meia-noite. Acabei de fazer minhas unhas com uma lanterna. Desta forma ficava quase impossível fazer uma cerimonia. Ficou para o dia seguinte.


O vestido eu já tinha escolhido, um tom de coral rosado, assim como o sapato, bem confortável e com design diferente, para o cabelo escolhi uma tiara de flores que comprei na feira de artesanato de Domingos Martins no começo de dezembro, o buquê - feito na hora – tinha as estrelas do ano novo com um Santo Antônio para jogar para as que querem arrumar um casamento. A camisa social que o Leo tinha separado foi esquecida em Rio Casca, na casa dos pais deles, tivemos   que usar um plano B.
   
O primeiro dia do ano amanheceu com um sol lindo, mas ainda sem energia, ela só voltou à tarde. Já tínhamos decidido que nosso casamento iria acontecer mesmo assim. O que seria algo bem íntimo acabou tomando proporções de uma cerimonia de casamento mesmo, parentes se arrumando, chinelos de dedo dando lugar a saltos, cara lavada trocada por maquiagem caprichada. Apareceu um altar, com flores, folhas, música ao vivo, padrinhos, nossas crianças – Laura e Daniel – entrando com as alianças, uma “juíza de paz” (minha prima e futura delegada: Anne) e, claro, muita emoção. Eu que choro até com desenho animado claro que chorei em um momento tão importante das nossas vidas (mas foram lágrimas de emoção e felicidade, estas são sempre bem vindas).


Toda nossa felicidade e emoção podem ser vistas nas fotos e na nossa história que agora divido com você. Hoje tenho certeza que o amor sempre vale a pena e que deixar o passado de lado e entrar despida de mágoas são condições para ser feliz em um relacionamento. Deus abençoou o nosso relacionamento desde o comecinho e renovamos o nosso amor a cada manhã. 


Ainda faremos o casamento civil com direito a um almoço em que nossos pais, parentes e amigos mais íntimos estarão presentes, não sabemos quando ainda, o mais importante é que já estamos casados e felizes

Comentários